top of page
  • Foto do escritorHamasul News

JOGO DE CINTURA de SÍNDICO

Como deve ser a postura de um administrador para enfrentar os desafios diários do prédio


O síndico Ariovaldo de Souza no condomínio que administra.

O Sr. Ariovaldo de Souzaé o síndico do edifício Golden Village, um dos maiores condomínios de Mongaguá. Localizado no bairro do Jardim Marina, conta com três torres e um complexo de lazer praticamente completo. Entretanto, um condomínio desse porte traz diversos desafios diários para uma boa gestão. O Sr. Ari, como é conhecido, conversou com nossa reportagem e compartilhou um pouco do seu dia-a-dia e de como lida com ele. Confira:

Como foi para você se tornar síndico? Você já tinha apreço pela área da administração ou foi por acaso?

Trabalhei por 35 anos na área administrativa de uma empresa, e quando vim morar no Golden, não tinha nenhuma expectativa de um dia me tornar síndico. No decorrer dos anos, comecei a me interessar pela rotina do condomínio e depois de um tempo, devido a alguns problemas de gestão interna, fui convidado para ser subsíndico e, após dois anos, me tornei síndico.

Você é síndico de um condomínio de grande porte. Quais são os principais desafios de administrar nesse caso?

Nosso condomínio é uma construção de mais de vinte anos e requer muita manutenção. Por isso, o trabalho é diário. Temos uma equipe de manutenção que realiza 80% dos trabalhos e uma zeladoria que conhece a fundo todos os problemas, e que mantém o condomínio num patamar estável durante o ano. Como o nosso condomínio tem duas piscinas, quadra poliesportiva, saunas, salões de jogos e de festas, academia, uma grande área de lazer, e serviços de alta temporada na praia, procuramos estar atentos a todos os detalhes. O nosso grande desafio é deixar o condomínio em ordem. Fora isso, acompanho junto com a Karol (da administradora), o fechamento do balancete mensal, jogando despesas em fundo de reserva, para não ter alterações no valor do condomínio. Nossa saúde financeira é muito boa.

Como deve ser a relação entre o síndico e os moradores? E quais os desafios no intermédio das relações entre os vizinhos? Como o síndico pode e até onde deve interferir para manter a cordialidade nessas relações?

Todos os síndicos têm que ter em mente que o condomínio não é seu, e sim de todos os condôminos. Partindo deste princípio, exercemos uma relação de total diálogo, para que não haja dúvidas quanto à lisura da administração. Sempre que há algum problema entre vizinhos, seja de vazamentos, infiltrações, barulhos e etc, procuramos intermediar para que seja resolvido da melhor forma possível. Usamos sempre o bom senso, aliado às regras condominiais.

Um dos pontos altos na sua gestão é a maneira como você faz a gestão de pessoas. Como é cuidar disso num empreendimento de grande porte?

Como trabalhei por 35 anos em departamento de Recursos Humanos em uma única empresa, aprendi que a melhor forma de receber o melhor é sendo uma pessoa justa, sem prejudicar ninguém, pois esta é a melhor forma na gestão de pessoas. Isto tem levado os nossos colaboradores, num total de dezoito, a fazer o melhor também.

Para você, qual a importância que tem a administradora no auxílio ao síndico?

Total importância. A parceria com a administradora é fundamental para que o trabalho de ambos surtam o efeito desejado. Acredito no trabalho que a nossa gerente de conta, a Karol Umburana, desenvolve, sendo sempre prestativa na resolução dos problemas. Sei que o nosso condomínio tem um volume muito grande, tanto com prestação de serviços quanto com RH, contas a pagar. Por esses motivos, procuramos andar juntos. Neste ponto, a Hamasul está sempre se atualizando, para melhor atender a todos.

Se você puder dar alguma dica, saída da sua experiência, de como um síndico deve agir, qual seria a principal? Qual é o "caminho das pedras"?

Temos em alta temporada aproximadamente 80% de taxa de ocupação. Tentamos, da melhor maneira possível, resolver os problemas sempre pelo diálogo. Conto sempre com a ajuda de um corpo de conselheiros atuantes, onde fazemos reuniões para tratar os assuntos pertinentes. O caminho das pedras é sempre ter jogo de cintura, pois sem isso, não chegaríamos a lugar nenhum.

Qual é o segredo para ser um síndico respeitado e de sucesso? O que não pode faltar?

Sempre respeitar a todos, ouvindo sugestões, visando o melhor para o condomínio. Repito, síndico não é dono do condomínio e sim um administrador, que está na função por um período determinado. O que não pode jamais faltar, repito, é jogo de cintura!

105 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page