• Hamasul News

Mão-de-obra terceirizada no condomínio: os desafios da pandemia


Crédito da imagem: Jessica Dittrichi.

A terceirização de mão-de-obra é um setor em crescimento no Brasil. Muito antes da aprovação da terceirização irrestrita pelo Congresso Nacional, em 2017, o Brasil já acumulava 18,9% do total de empregados contratados no regime, segundo o Suplemento de Relações de Trabalho e Sindicalização da última Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios), divulgada em 2015, pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). De acordo com a pesquisa, em 2015 o Brasil tinha 51,7 milhões de empregados, sendo 9,8 milhões de terceirizados. Nesta edição, entrevistamos Lucas Gimenes, sócio-proprietário da Predial Star, empresa especialista em terceirização de mão-de-obra para condomínios. Entre os serviços de portaria, limpeza e zeladoria que oferece, Lucas conta o que mudou para a Predial Star também com a pandemia. Confira:


Como você enxerga a importância da terceirização de pessoal para os prédios? Quais os benefícios?

A mão-de-obra é a coisa mais relevante no condomínio. Sua importância é tão grande que corresponde a mais da metade da arrecadação total do edifício. Mas muitas vezes, principalmente aqui no litoral, as pessoas não dão a devida importância a isso, já que costuma ser o segundo imóvel e a maior parte dos proprietários são veranistas. Porém, o investimento em pessoal é essencial ao condomínio, pois são os funcionários os responsáveis por manter o funcionamento e a manutenção, a limpeza (através do auxiliar de serviços gerais), a fiscalização (através do zelador) e a segurança (através da portaria). A terceirização se faz importante porque profissionaliza todas essas questões. Primeiramente, afasta o risco do passivo trabalhista, pois é a terceirizada quem assume. A segurança também é garantida: numa empresa especializada, a seleção é mais preparada, criteriosa e segura. Se você não recrutar muito bem, você pode colocar alguém que gere risco de segurança para o condomínio. Um porteiro, por exemplo, vai ter acesso à rotina do prédio e das pessoas que moram nele. Além disso, no dia-a-dia, com a terceirizada, o condomínio sempre estará coberto, mesmo com férias e afastamentos de funcionários. Garante-se também a qualidade na forma de se desempenhar o serviço, pois existe treinamento e supervisão constante e profissional, o que economiza o tempo do síndico. A empresa terceirizada também oferece suporte especializado sobre assuntos trabalhistas, o que muitas vezes o síndico sozinho não conseguiria fazer e precisaria buscar um suporte jurídico ou algo similar. E por fim, existe uma redução de custos, já que a terceirizada irá oferecer os uniformes, EPIs necessários e etc., tudo isso incluso no custo final.


Quais os aspectos que um síndico ou síndica deve analisar no momento de contratar uma empresa de terceirização de mão-de-obra?

O tempo de existência e a história da terceirizada. Uma das maiores preocupações no momento de contratar uma empresa é saber se ela faz todo o processo legal de recolhimento de impostos trabalhistas que a legislação vigente ordena. Isso porque a legislação considera o condomínio como responsável subsidiário por esses pagamentos. Se os recolhimentos não forem feitos, primeiramente causa um problema para a empresa terceirizada, mas na falta de pagamento, o condomínio será obrigado a realizar. Analisando o histórico da empresa e suas certidões, você evita este risco. É importante também procurar saber se a empresa oferece o treinamento, pois é essencial; conhecer a opinião de outros clientes; e também o tamanho da carteira da empresa, pois é muito mais difícil uma empresa consolidada no mercado ter problemas, por exemplo, como falência, do que uma empresa com pouco tempo de existência.


Nesse momento de crise, houve a criação de muitos postos de trabalhos temporários. Segundo a ASSERTTEM (Associação Brasileira do Trabalho Temporário), houve mais de 2 milhões de contratações temporárias somente no ano de 2020. Como a Predial Star está trabalhando com a contratação de temporários?

Isso na verdade já é um cenário comum para a Predial Star. Já temos um crescimento dos número de postos de trabalho temporários no final do ano, na chamada alta temporada de verão, entre novembro, passando pelo Reveillon e até o Carnaval, que são as épocas que mais lotam. Nesse momento, é comum a contratação de um reforço no quadro de funcionários e acontece a geração de empregos temporários. Em 2020, a contratação de temporários deveria ter sido menor, mas foi igual a outros anos porque muitas pessoas não respeitaram as medidas de isolamento e viajaram ao litoral, e com um maior número de pessoas, se fez necessário um aumento no quadro de funcionários. Mas também trabalhamos com postos temporários para cobrir férias de funcionários que não são terceirizados, que são funcionários próprios dos prédios; e também nos casos de coberturas por afastamentos. Infelizmente, também notamos mais afastamentos nesses tempos de pandemia. A Predial Star sempre tenta se colocar ao lado de seus clientes para suprir suas necessidades em tempo recorde, e tivemos casos em que muitos prédios com funcionários próprios nos procuraram para fazer cobertura de afastamentos por conta de diagnóstico de Covid, e isso também gerou um leve aumento no número de postos temporários. Tivemos casos em que precisamos cobrir postos rapidamente: houve afastamento por Covid durante a manhã, e à noite já estávamos com funcionário no condomínio.


Está sendo possível manter os postos de trabalhos fixos? Como acha que isso contribui nesse momento de desemprego?

Sim, estamos mantendo os postos. Serviços de mão-de-obra para condomínios foram enquadrados como serviços essenciais, mas sabemos que também precisamos olhar para o lado financeiro do país, pois a economia foi afetada pela pandemia. Então, independente de terem sido considerados serviços essenciais, tentamos olhar com cuidado para isso. Num momento de crise, onde existe essa busca para reduzir custos, a mão-de-obra, sendo o maior custo, é o mais visado para cortes, seja em diminuição de postos, seja em redução de carga horária. Mesmo obviamente sofrendo com a crise, como todos os setores, conseguimos manter uma gestão inteligente, mantendo postos, principalmente fixos, e contribuindo nesse momento de crise para manter os empregos. A Predial Star não atrasou nem deixou de pagar uma única vez nenhum funcionário. Buscamos manter todos amparados, cumprindo à risca todas as obrigações trabalhistas, seguindo os reajustes da categoria e fazendo todos os repasses. Logo no início da pandemia, quando veio a preocupação com os maiores de sessenta anos por serem do grupo de risco, conseguimos afastar todos, substituindo por outras pessoas, mas continuamos garantindo o salário integral de quem estava afastado. Tentamos evitar reduções de valores para manter postos e salários.


Houve algum cuidado ou adaptação das orientações para os funcionários com a pandemia? Quais?

Houve muitos cuidados novos e estamos em constante adaptação. As orientações são frequentes, de forma exaustiva, e foram incluídas nos treinamentos dos funcionários. Infelizmente, a forma como foi abordada a questão da pandemia no país contribuiu para que uma parcela da sociedade não desse a atenção devida aos cuidados, adaptações e orientações para o combate ao vírus. Então, no sentido de se orientar e se adaptar, fazemos um trabalho de gestão para nossos funcionários seguirem à risca os protocolos de segurança, já que ele está dentro da casa do nosso cliente, e nos preocupamos com a segurança de ambos; não só do funcionário e de sua família, mas também da segurança do condômino. O funcionário precisa se adaptar à nova rotina, ao uso dos equipamentos novos, como máscara e álcool em gel, e entender de fato a importância da prevenção e do combate. E por sermos uma terceirizada, temos também a presença da supervisão, a fim de garantir o cumprimento também desses novos protocolos.


Quais são os planos da Predial Star para o futuro?

Nossos planos para o futuro começaram a partir de 2017, quando fizemos uma reestruturação na empresa. Tudo foi mudado: desde o uniforme até os cargos gerenciais. Isso possibilitou um novo crescimento para a empresa. Apesar de existir há 20 anos, esse passo foi crucial para consolidar o próprio futuro da empresa; e os planos vêm dando certo. A empresa demonstra crescimento mesmo num momento delicado como esse. Hoje, alcançamos um bom mercado na cidade de Mongaguá, então não pensamos em grandes mudanças para o futuro, mas numa consolidação e crescimento da empresa nas cidades vizinhas. O objetivo é consolidar o nome da Predial Star pela baixada santista.

7 visualizações0 comentário